Por onde anda Ritchie e a “Menina Veneno” - Som do Meu Tempo

Destaque

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 19 de fevereiro de 2022

Por onde anda Ritchie e a “Menina Veneno”

 


Guardadas as devidas proporções, Ritchie foi para os anos 80 o que Anitta e Alok são para a década atual. Um popstar puro sangue, que era onipresente na mídia. Não ouvir as músicas ou ver o rosto do cantor inglês radicado no Brasil na TV era uma tarefa quase impossível para quem viveu a época do sucesso estrondoso do disco Voo de Coração, lançado em 1983, e das músicas Menina Veneno, Casanova e A Vida Tem Dessas Coisas.


#

35 anos depois do lançamento de um álbum que foi produzido com representantes da elite do pop da época, como Lulu Santos, Lobão, Liminha e o guitarrista Steve Hackett, do Genesis, esse ainda continua sendo o trabalho mais importante e mais vendido da vida cantor. Por outro lado, foi também o que deu início à saturação de Ritchie em ser uma figura pública requisitada.



Embora tenha continuado a lançar discos regularmente até 1993, o britânico reconhece que seu afastamento completo do mercado da música nos anos 90 é fruto do intenso sucesso que acumulou e agenda que mal deixava espaço para desfrutar das conquistas financeiras.

Ritchie confessa que era um martírio enfrentar maratonas de shows e programas de TV. E foi essa exigência das gravadoras que o fez optar por uma vida mais simples e quase anônima nas décadas seguintes, inclusive passando períodos afastado completamente da música por opção própria e para otimizar seu tempo no aprendizado de novas funções, como programação e sonorização.



‘Covid veneno, o mundo é pequeno demais pra nós dois’, cantou Ritchie ao ser vacinado em abril de 2021, aos 69 anos.

Trajetória de Sucesso

Richard David Court, ou Ritchie (nascido em 6 de março de 1952), é um cantor e compositor inglês radicado no Brasil, autor de diversos sucessos como “Menina Veneno , A Vida Tem Dessas Coisas, Pelo Interfone e Vôo de Coração”.

Nascido no Beckenham, no condado de Kent, no Sul da Inglaterra morou em diversos países como Quênia, Dinamarca, Itália, Alemanha e Escócia, além de várias localidades da Inglaterra por ser filho de militar. Em 1972 conhece em Londres um grupo de brasileiros, inclusive alguns integrantes dos Mutantes, que o convencem a vir para o Brasil.

No Brasil fixa-se a princípio em São Paulo onde monta a banda Scaladácida com Fabio Gasparini (guitarras), Sérgio Kaffa (baixo), e Azael Rodrigues (bateria).Com a dissolução da banda no final de 1973, muda para o Rio de Janeiro com a mulher , a arquiteta e estilista carioca Leda Zuccarelli. No Rio de Janeiro , passa a dar aulas de inglês para artistas como Paulo Moura , Egberto Gismonti e Gal Costa. Participa de várias bandas como flautista, exemplo da A Barca do Sol e vocalista durante dois anos até começar a atuar como cantor no grupo Vímana, ao lado de Lobão, Lulu Santos, Luiz Simas e Fernando Gama, e gravam o compacto Zebra pelo selo Som Livre , que é arquivado pela gravadora que alega não haver público para rock no Brasil.

Em seguida a banda é desfeita, e praticamente todos os seus integrantes iniciam carreira-solo. Em 1983 Ritchie lança o LP Voo de Coração , que vende mais de um milhão de cópias, capitaneado pelo imenso sucesso de seu hit Menina Veneno. No entanto , nos discos seguintes não conseguiu manter o mesmo sucesso. Depois de anos trabalhando com sonorização para sites e mídia digital, retornou com um disco de composições inéditas em 2002 intitulado Auto Fidelidade. Em 2005, juntou-se a diversos astros de sua geração e gravou o CD e DVD ao vivo Anos 80, produzido pelo canal pago Multishow.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad